Presunto a Monte

Novembro 25 2009

Fernando Lima promovido

 

É engraçado ver o Cavaco a promover o seu ex-assessor Fernando Lima, depois do caso das escutas. Mas não é ridículo.

 

Os assessores fazem coisas desse género dia e noite, noite e dia. Eles limpam, modificam, alteram, suavizam, amaciam, expurgam, corrigem, transformam e distorcem tudo. Eles até inserem e controlam coisas que não deviam controlar.

publicado por Leandro às 19:16

Novembro 17 2009

Além do pão de forma a preços módicos e da carne picada que é mesmo carne picada, todos os Pingos Doces de Portugal têm uma série de personagens que habitam esse vasto reino. Este facto é fácil de discernir, isto é, se conseguirmos a abstracção necessária para ignorar a verborreia repugnante que é a banda sonora do Pingo Doce (sim, aquela música que diz para ir ao Pingo Doce de Janeiro a Janeiro).

 

O primeiro elemento da fauna é o casal jovem. Chamemos-lhes David e Raquel. Ele tem um emprego precário a receber 500 euros por mês, por isso entrega o dinheiro na caixa como quem dá um rim. Ela já trabalhou, mas agora não, porque tem dois filhos. O mais pequeno está no colo materno imerso numa tentativa vã de agarrar um pacote de pastilhas elásticas. Este experimento, depois de falhado, é seguido de um berreiro descomunal e calamitoso que alerta todos os presentes que a vida é dor.

 

O outro membro desta bicharada é o trolha, peço perdão, empregado de construção civil. Às tantas é picheleiro, mas nunca se sabe, ambas as espécies usam bonés do PSD e t-shirts “Benfica Campeão 1994/1995”. Estes homens chegam à caixa munidos apenas com uma garrafa de cerveja de litro e meio. Entregam o dinheiro contado em moedas pequenas, e às vezes, lá lhes falta um ou dois cêntimos que a menina da caixa faz o favor de perdoar. Eu pessoalmente gosto muito de picheleiros, já dizia Bukowski, eles mantêm a merda a circular.

 

A avó desta mui nobre família também por lá anda, a navegar pelos corredores com o seu carrinho-saco, que enche com pescada congelada e um saquinho de rebuçados, já que a vida é curta. Na hora de pagamento, esta tiritante eremita conta o trocos diligentemente, e deixa a menina da caixa numa vigília de paciência infinita em que se espera que a senhora descubra que um mais um é dois.

 

Longe da caixa, perdido pelos corredores, anda o Joãozinho de sete anos. Esta criatura diabólica por lá deambula, na sua procura incessante por bolachas e gomas coloridas. A mãe e o pai da peste estão noutro corredor, já resignados com o carácter evasivo da sua descendência. Os progenitores estão juntos no corredor dos lacticínios a discutir se vai haver dinheiro que chegue até ao final do mês. O pai, a morrer por dentro, viaja mentalmente para a televisão de sua casa, onde por essa hora, começa mais uma partida do seu Sporting.

 

Por fim, ali instalados encontram-se também os estudantes do secundário. Esta trupe pseudo-revolucionária conspira, no corredor da cerveja, se a mulher da caixa pedirá o bilhete de identidade aos meninos. A compra acaba por se confirmar e os intrépidos jovens cruzam olhares insuspeitos que traduzem-se num “Conseguimos!”.

 

Eu, por mim, não sei se é a falta de sabedoria inerente à minha falta de idade que me leva a conjurar análises mirabolantes como esta. É possível que seja uma alucinação juvenil mas, acho que no que toca a Pingos Doces, devem ser todos assim em Portugal de lés a lés. A verdade é que o raio da música do Pingo Doce não me sai da cabeça. Nem tenho previsões de que alguma vez sairá.

publicado por Leandro às 22:40

Novembro 11 2009

Esta série é tão boa que eu queria ter amnésia só para poder vê-la de novo pela primeira vez.

 

publicado por Leandro às 19:12

Novembro 09 2009

Ei pá, a carreira da Ana Malhoa vai de vento em popa. Desde os quatro anos que ela queria ser cantora.

Tenho a certeza que a Aninha de 4 anos já imaginava uma discografia destas:

  • 2000 - Ana Malhoa
  • 2001 - Por Amor
  • 2003 - Eu
  • 2004 - Eu Sou Latina
  • 2005 - Bué da Fixe
  • 2005 - Hot Reggaeton (by Lil'Queen)
  • 2006 - Êxitos
  • 2007 - Nada me Pára
  • 2008 - Exótica
  • 2009 - Sexy

Ah, e o primeiro single do álbum “Sexy” é o “Sinto-me Sexy”.

É uma caixinha de surpresas esta Ana.

Mencionei que ela foi capa da Playboy?

publicado por Leandro às 20:23

Novembro 05 2009

Alguém pode restringir fisicamente o Kalaf Ângelo de escrever crónicas para o Público?

Chega daquelas divagações intermináveis sobre factos pseudo-modernos e as suas aventuras pela pseudo-cultura alternativa lisboeta.

 

Por favor, salvem o que resta do único jornal português decente.

publicado por Leandro às 23:55

Novembro 03 2009

Se faz favor, alguém pode pedir ao Prof. Pacheco Pereira para parar de escrever aqueles artigos de “opinião” na Sábado em estilo “para um bom entendedor meia palavra basta”?

Eu considero-me uma pessoa minimamente inteligente – até consigo perceber metade do programa dos partidos, vejam lá – mas chega daquele lenga lenga, daquele chove mas não molha, daquele “estou a escrever isto, mas quero que percebas outra coisa”.

Não, Prof. Pacheco Pereira, eu não percebo.

A definição do estilo “para bom entender meia palavra basta” é que tem de existir pelo menos meia palavra para se entender.

publicado por Leandro às 20:07

O problema não é salvar Portugal, é salvarmo-nos de Portugal - Jorge de Sena
mais sobre mim
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
13
14

15
16
18
19
20
21

22
23
24
26
27
28

29
30


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO